Presion Arterial

Diet-michaelfox

A combater a hipertensão

…Oito (8) alimentos que ajudam

Embora não tenha cura, a hipertensão pode ser controlada e evitada com algumas mudanças de hábito. E se você já pensou “não tenho tempo para praticar exercícios ou qualquer coisa semelhante”, saiba que apenas incluindo alguns alimentos em sua dieta, a prevenção e o controle já são desenvolvidos naturalmente pelo seu organismo. Confira a seguir oito desses alimentos

corazon3d

Cómo saber si soy hipertenso

Según los especialistas, la hipertensión arterial no causa síntomas en la mayoría de las ocasiones, razón por la que se la conoce con el sobrenombre de “asesina silenciosa”. Sin embargo, según el doctor García Donaire, si sospechamos que podemos ser hipertensos tenemos que prestar atención a ciertos indicios que podrían estar relacionados con esta patología:

  • Dolor de cabeza. No se trata del dolor de cabeza habitual sino de un tipo concreto similar al que se experimentaría con un casco de una talla más pequeña, que presiona en toda la cabeza de forma constante.
  • Sensación de aturdimiento. Tener dificultades para recordar cosas de las que habitualmente nos acordamos sin problema, unido a cierto malestar general, también podría ser un indicio, especialmente si hay antecedentes familiares.
  • Tener palpitaciones. Se trata de experimentar la sensación de que nuestro corazón va más rápido de lo normal, aunque en realidad no sea así.

 

Cifras óptimas

Si somos nosotros quienes nos medimos la presión arterial en casa debemos hacerlo con aparatos homologados y validados. Además, para obtener una cifra real lo ideal es que la midamos en tres ocasiones consecutivascon un intervalo de dos minutos entre la primera, la segunda y la tercera ocasión. Después, eliminaremos la primera medida y sacaremos la media de lo obtenido en la segunda y la tercera medida.

Si la máxima o sistólica de esa cifra resultante está por encima de 140 y/o la mínima o diastólica es más alta de 90, deberíamos acudir a nuestro médico porque se trata de un cuadro de hipertensión. Sin embargo, si ya estamos diagnosticados como hipertensos y seguimos un tratamiento, las cifras que nos alertan de que algo ocurre son las que haya indicado nuestro médico para nuestro caso concreto, seguramente más bajas de 140/90.

Hipertens_stethoscope

Medidas para bajar la presión

Además de los recursos farmacológicos, nuestras rutinas saludables pueden reducir los niveles de presión arterial. Según la doctora Petra Sanz, cardióloga del Hospital Universitario Rey Juan Carlos y del Hospital Infanta Elena, “los cambios en el estilo de vida nos ahorran pastillas. Hay pacientes que solamente con ese cambio consiguen que su tensión vuelva a la nornalidad sin llegar a tomar pastillas”, asegura. Por eso, para mantener la tensión controlada hay que procurar mantener un estilo de vida saludable basado en las siguientes orientaciones:

  • Evitar el estrés crónico. Está demostrado que el estrés crónico (el relacionado con el trabajo, la insatisfacción conyugal, una mala situacion económica…) puede provocar una elevación persistente de la presión arterial. Controlarlo es fundamental, por lo que si es necesario hay que consultar con un psicólogo o psiquiatra.
  • Alimentación sana. Eliminar o al menos disminuir la cantidad de sal de la dieta es una de la principales medidas a tomar. La reducción del consumo de sal a 5 gramos por día disminuye la tensión arterial en hasta cuatro o cinco milímetros de mercurio. Junto a ello son eficaces otras medidas como la disminución del consumo de alcohol, el aumento del consumo de frutas y verduras y el control del peso.
  • Más ejercicio. Aumentar la actividad física es clave si somos sedentarios. Un ejercicio físico aeróbico habitual es muy beneficioso para controlar la tensión si se hace todos los días, adaptándolo a la edad y circunstancias de cada persona. Entre los más recomendables está caminar durante 30 minutos diarios a una velocidad moderada.

Dieta recomendada – Cure yourself with micronutrients

 

A hipertensão arterial sistêmica (HAS) é o fator de risco modificável mais comum para as doenças cardiovasculares. Atualmente, estima-se que exista mais de 1 bilhão de adultos com hipertensão no Mundo, sendo que este número deve chegar a 1,5 bilhão de pessoas até 2025. Atualmente, a hipertensão arterial está envolvida em 9 milhões de óbitos por ano, o que é muito significante. Devido a alta incidência e morbidade desta doença, um enorme esforço deve ser feito para se reduzir os efeitos do aumento da pressão e das doenças cardiovasculares. Por isso, inúmeros estudos indicam estratégias para o controle da pressão e prevenção das doenças cardiovasculares através da alimentação, como a redução do sódio (sal) e o incremento da ingestão de potássio.

As principais recomendações dietéticas a respeito do sódio sugerem que ele não seja ingerido em volume maior que 2 gramas ao dia. No entanto, quando se estudou este assunto em 181 Países diferentes, observou-se que o consumo médio de sódio foi de 3,95 gramas por dia, variando de 2,18 a 5,15 gramas por dia. Desta forma, pode-se concluir que 92% da população adulta do Mundo consome mais sódio do que o recomendado pela Organização Mundial de Saúde.

A grande questão é que já se provou que a redução da ingestão de sódio realmente reduz a pressão arterial. Sabe-se que cada redução da ingestão de sódio em 2,3 gramas por dia poderiam reduzir a pressão arterial em 3,82 mmHg, o que é muito interessante. No entanto, a redução do sódio pode ter um efeito diverso quando se levam em consideração alguns fatores. Por exemplo, os idosos respondem de forma mais intensa ao controle dietético do sódio do que os jovens, assim como os negros respondem melhor do que os caucasianos. Dieta para bajar la tensión alta –   hipertensión

alimentosespanol

  • La hipertensión arterial (HTA) es el aumento de la presión arterial de forma crónica con valores iguales o superiores a 140 mm de Hg (mercurio) de presión sistólica y 90 mm de Hg de presión diastólica. La HTA es un factor de riesgo cardiovascular. La presión arterial se puede elevar sin una causa previa conocida, por algunas enfermedades (endocrinas, renales…), por el consumo de algunos fármacos. Otras causas son el abuso de tabaco, el abuso de alcohol, el estrés, el sobrepeso, la falta de ejercicio… y por seguir una dieta con exceso de sal.

  • Um estudo importante publicado na revista médica The New England Journal of Medicine e patrocinado pela Fundação Bill e Melinda Gates sobre a associação do sódio com a hipertensão arterial sistêmica, mostrou resultados assustadores e que devem ser lembrados por médicos e pacientes. Baseando-se na correlação entre a ingestão de sódio e hipertensão arterial, e entre a hipertensão e a mortalidade por motivos cardiovasculares, e usando como referência a ingestão de sódio indicada 2 gramas ao dia, foi possível concluir que 1,65 milhão de pessoas morreram de causas cardiovasculares pelo Mundo em 2010 em decorrência do consumo de sódio acima do valor indicado. Dentre estes óbitos, 41,7% ocorreram devido a doenças coronarianas e 41,6% devido a acidentes vasculares cerebrais (AVC). Quando se pensa na faixa etária dos óbitos, 40,4% das mortes ocorreram prematuramente, ou seja, em pessoas com menos de 70 anos. Conclui-se assim que 17,8% das mortes prematuras devido a doenças cardiovasculares foram atribuídas à alimentação com excesso de sódio.

O mais importante agora é saber que um número de enorme de mortes pode ser potencialmente evitada somente com a redução da ingestão de sódio na dieta. Por esta razão, algumas orientações dietéticas foram descritas. Atualmente, a melhor dieta utilizada para o controle da hipertensão arterial se chama DASH (Dietary Approach to Stop Hypertension ou Abordagem Dietética para Controle da Hipertensão), com diminuição da pressão sistólica (mais alta) em 4 a 12 mmHg. A dieta DASH mostra resultados relevantes na redução da pressão arterial, principalmente quando a ingestão diária máxima de sódio é de 1,5g. Lembro que 6 gramas de sal de cozinha representam 2,3 gramas de sódio. Os princípios da dieta DASH são a ingestão de 4 a 5 porções de frutas ao dia, 4 a 5 porções de vegetais ao dia, 2 a 3 porções de leites e derivados desnatados ao dia, ingestão máxima de sódio de 2,3 gramas, redução do peso e realização de atividades físicas pelo menos 3 vezes na semana. Desta forma, a meta para a população geral a ser atingida é de 2,3 gramas de sódio. No entanto, pessoas hipertensas e em tratamento, adultos acima de 51 anos e pacientes com insuficiência renal, a dose diária máxima deve ser de 1,5 gramas de sódio. Além disso, para que se diminua a ingestão de sódio em exagero, recomenda-se que se evitem os salgadinhos, fast foods, alimentos processados, sopas de pacote, temperos prontos, pizza, pipoca, queijos em excesso. Por outro lado, incentiva-se a ingestão de frutas e verduras.

Aveia, cereais integrais e até leite são peças chave nessa luta

(Espacio Nutrição)

 O alimento auxilia no processo de emagrecimento por retardar o esvaziamento gástrico, o que prolonga a sensação de saciedade.

Desse modo, ele auxilia no controle da glicose sanguínea, sendo uma importante ferramenta para hipertensos. Além disso, a aveia contém magnésio que, em união com o cálcio, ajuda no relaxamento da musculatura, diminuindo o inchaço do corpo.

Amêndoa e noz

Por serem boas fontes de magnésio, amêndoas e nozes atuam como vasodilatadores, ou seja, ampliadores dos vasos sanguíneos, o que auxilia no controle da pressão arterial. Esses alimentos também são ricos em vitamina E, um dos principais antioxidantes naturais existentes, que ajudam a retardar o envelhecimento

Alimentos ricos em ômega 3

Presente em alimentos como sardinha, salmão, atum, linhaça e azeite, os ácidos graxos ômega 3 devem ser consumidos por pessoas com hipertensão em uma dose acima do valor diário recomendado normalmente

Ervas

O que a salsa, a cebolinha, o coentro, o alecrim, a sálvia, o manjericão, o louro e o tomilho têm em comum? Todos são ótimos temperos naturais e, por isso, podem substituir como nenhum outro alimento o uso do sal. “Reduzindo o sal, também há diminuição da ingestão de sódio, um dos principais vilões dos hipertensos”

Alho

Ótima fonte de vitamina C, o alho tem alto poder antioxidante, atuando na diminuição de radicais livres, responsáveis pelo envelhecimento precoce, pelo câncer e até por doenças cardíacas. Além disso, a combinação de diversos elementos presentes nesse alimento, como o magnésio, auxilia – ainda que de forma singela – na dilatação dos vasos sanguíneos, reduzindo a pressão e facilitando a circulação do sangue.

Cereais integrais

Eles reduzem as chances de diabetes, previnem o câncer, ajudam a manter o peso e ainda são grandes combatentes da hipertensão. Motivos não faltam para incluir cereais integrais, como farelo de aveia e gérmen de trigo, na sua dieta. O grande mérito desses alimentos é a concentração de magnésio, que, segundo a nutricionista Cátia Medeiros, estimula a dilatação dos vasos sanguíneos, reduzindo, por tabela, o inchaço típico de pessoas que retêm líquidos.

Leite e derivados (different foods for pacientes diabetes tipo 2)

Importantes fontes de cálcio, leite e derivados não podem ficar de fora da dieta de pessoas com hipertensão. O cálcio funciona como hipotensor, ou seja, atua na diminuição da pressão sanguínea, uma vez que estimula a eliminação de sódio. A grande vantagem desses alimentos é o fato de pequenas porções apresentarem grande concentração do mineral.

Alimentos ricos em potássio

Se, por um lado, o sódio estimula a retenção de líquidos no organismo, aumentando a circulação sanguínea e, consequentemente, a pressão arterial, o potássio age como um natriurético, estimulando a eliminação do sódio presente no corpo. Assim, alimentos ricos nesse elemento são muito recomendados para hipertensos

Evitar Sal

O sal é um dos vilões mais temidos da atualidade, mas também é o menos combatido. Isso porque desde sempre nós nos acostumamos a comer tudo com uma bela pitada de sal. E se fosse só essa pitada, tudo bem! Mas, o que torna o sal um grande vilão é que ele é a principal fonte de sódio que consumimos, podendo causar aumento da pressão arterial levando a problemas mais sérios de saúde, como a hipertensão e sobrecarregar os rins.

Porém, manter o sal longe do prato ou pelo menos diminuir as quantidades dele nas receitas pode ser mais fácil do que você imagina. A substituição do mineral por outros temperos naturais dá novo gostinho às preparações e ainda por cima promove uma onda de boa saúde.

Verduras   Carne Fruta Farinaceos  Pescado
475g Patata  Modelo  colocamos  un Post  con dieta hiper

tension

 2016
350g Coliflor
25g Zanahoria
Anuncios

Responder

Introduce tus datos o haz clic en un icono para iniciar sesión:

Logo de WordPress.com

Estás comentando usando tu cuenta de WordPress.com. Cerrar sesión / Cambiar )

Imagen de Twitter

Estás comentando usando tu cuenta de Twitter. Cerrar sesión / Cambiar )

Foto de Facebook

Estás comentando usando tu cuenta de Facebook. Cerrar sesión / Cambiar )

Google+ photo

Estás comentando usando tu cuenta de Google+. Cerrar sesión / Cambiar )

Conectando a %s

antioxidante GI … Dr. X. NIKO MS

A %d blogueros les gusta esto: